FIES 2020
Em 2020, interessados no FIES poderão usar as notas do Enem 2019 e de edições anteriores para conseguir um financiamento

Fies 2020

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa do Governo Federal para financiar cursos de graduação em instituições particulares. A seleção dos candidatos tem como exigência a participação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Quando será o Fies 2020?

O Fundo de Financiamento Estudantil tem duas edições por ano, as quais são realizadas semestralmente. O Fies 2020/1 será realizado em fevereiro, enquanto a expectativa para o Fies 2020/2 é de que as inscrições sejam abertas em junho.

Veja também: onde usar as notas do Enem 2019

O MEC define a ordem de seus programas de maneira que os estudantes que fizeram o Enem possam tentar todas as opções para ingresso no ensino superior. O cronograma começa após a divulgação do resultado do Enem 2019 e tem como sequência:

1º – SiSU 2020
2º – ProUni 2020
3º – Fies 2020

Modalidades do Fies 2020

Desde 2018, o Fundo de Financiamento Estudantil é dividido em duas categorias: Fies Fundo Garantidor e P-Fies. As modalidades se diferem em critérios de renda, juros, abrangência e prioridade para cada categoria. Confira!

Fies Fundo Garantidor/Juros Zero

  • Oferta: 100 mil vagas anuais
  • Quem pode: estudantes com renda familiar de até três salários-mínimos por pessoa
  • Juros: juros zero (com correção pela inflação)
  • Abrangência: nacional
  • Manutenção: Fundo Garantidor (Tesouro Nacional)
  • Quantidade de chamadas: uma chamada regular + lista de espera
  • Exige complementação online para os pré-selecionados? Sim, de 26 de fevereiro a 7 de março

P-Fies

  • Oferta: ilimitada
  • Quem pode: estudantes com renda familiar de até cinco salários-mínimos por pessoa
  • Juros: definidos pelos bancos parceiros
  • Abrangência: prioridade Centro-Oeste, Nordeste e Norte
  • Manutenção: Fundos Regionais
  • Quantidade de chamadas: uma chamada regular, sem lista de espera
  • Exige complementação online para os pré-selecionados? Não

Quem pode participar do Fies 2020?

O Fies 2020 aceitará inscrições de quem fez o Enem, em qualquer edição a partir de 2010, incluindo o Enem 2019, e obteve média de 450 pontos e nota acima de zero na redação do Enem.

Saiba tudo sobre a redação do Enem 2019

Além da participação no Enem, o MEC exige comprovação de renda para que o candidato possa participar.

Fies Juros Zero: renda familiar mensal máxima de 3 salários-mínimos por pessoa
P-Fies: renda familiar mensal máxima de 5 salários-mínimos por pessoa

Inscrição no Fies 2020

A inscrição no Fies 2020 será realizada no site fies.mec.gov.br, gratuitamente, em fevereiro de 2020 (edição do primeiro semestre) e em junho (edição do segundo semestre). Será preciso clicar em primeiro acesso e, posteriormente, informar CPF e senha, além de marcar a opção “não sou um robô”.

Após o login, o sistema do Fies localizará a pontuação do Enem por meio do CPF. Os candidatos precisam ter os CPFs de todos os membros da família que morem na mesma casa (com mais de 14 anos) e a renda de cada um, informações que serão solicitados na inscrição do Fies.

Outras etapas da inscrição no Fies 2020 incluem o preenchimento do grupo de preferência e a escolha de até 3 cursos, veja!

a) região;
b) mesorregião;
c) curso e o conceito do curso atribuído pelo Sinaes;
d) área e subárea de conhecimento.

Vagas do Fies 2020

Para 2020, o MEC oferecerá 100 mil vagas no Fies Fundo Garantidor (modalidade a juros zero). Já para o P-Fies não há um número restrito de financiamentos.

Em 2019, por exemplo, foram oferecidas cerca de 450 mil vagas para o P-Fies, mas as oportunidades não tiveram muita procura pelo valor alto dos juros (definidos pelos bancos). Já o Fies Fundo Garantidor é mais concorrido pelos juros zero, com correção apenas pela inflação, e a menor oferta de vagas.

Cursos e regiões prioritários do Fies 2020

O MEC estipula a prioridade de cursos no Fies conforme o que o Governo considera como áreas de maior necessidade do país. São prioritários os financiamentos para área de Saúde, Engenharia e Computação e licenciaturas, Pedagogia e Normal Superior.

A pontuação que o curso tem no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) também influencia na prioridade de oferta. Graduações com conceito máximo (5) contam com mais vagas no Fies.

Outro fator avaliado para a oferta de vagas pelo Fies 2020 é a região em que as graduações são oferecidas. A prioridade do Fies está concentrada nas mesorregiões com menor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDMH), como Norte e Nordeste.

Fui selecionado no FIES 2020, e agora?

Os estudantes que forem pré-selecionados no Fies Fundo Garantidor 2020 terão que complementar a inscrição no site do financiamento para, então, estarem aptos a procurar as instituições de ensino. Esta complementação não existe no P-Fies.

Os pré-selecionados das duas categorias do Fies deverão procurar a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de ensino na qual a vaga é oferecida para que seja feita a análise da documentação. Validados os documentos, alunos terão 10 dias para procurar os bancos conveniados aos Fies e P-Fies para a contratação do financiamento.

Pagamento do Fies

Durante o curso, o estudante pagará mensalmente as taxas operacionais do financiamento (valor mínimo de R$ 50) e o seguro de vida. Caso o curso não seja totalmente coberto pelo Fies, o aluno deve pagar a parte da mensalidade que não é financiada.

Ao terminar o curso, o estudante começa a pagar o valor integral da parcela. O pagamento é feito por meio de desconto no contracheque, caso tenha renda fixa, o que é fixado em torno de 10% do salário. O aluno que não estiver empregado ao término da graduação ou que fique sem renda em algum momento fará o pagamento mínimo definido no regulamento:

1º ano: 70% do valor que era pago mensalmente durante o curso + taxas

2º ano: 75% do valor que era pago mensalmente durante o curso + taxas

3º ano em diante: 100% do valor que era pago mensalmente durante o curso + taxas

ProUni + Fies

O Programa Universidade Para Todos (ProUni) é realizado antes do Fies e, por isso, é comum que estudantes consigam bolsas parciais (50%) e desejem usar o Fies para complementar o pagamento do curso. O MEC possibilita o uso simultâneo dos dois programas para a mesma graduação.

Mudança de Curso

É possível que o estudante mude de curso sem perder o financiamento do Fies. Existem duas situações diferentes para a transferência:

1) Dentro da mesma instituição: a transferência de curso pode ser feita apenas uma vez, desde que o aluno não tenha estudado mais de 18 meses, o que conta também com o período de férias.

2) Transferência de instituição: é permitida durante uma vez por semestre e no mesmo curso. No entanto, a instituição para a qual o aluno pretende se mudar deverá ter a adesão vigente e regular no Fies e ao Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (FGEDUC), além de ter avaliação positiva do MEC.