Fiscal Enem 2019
Colaboradores podem ganhar mais de R$ 600 nos dois dias de provas do Enem 2019

Como trabalhar no Enem 2019

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é a maior prova do Brasil e sua organização depende de muita gente envolvida. Só no Enem 2019, que vai acontecer nos dias 3 e 10 de novembro, de 500 a 600 mil colaboradores serão convocados para atuar em diversas funções no exame. Para tudo ocorrer dentro da normalidade, o Inep contratará pessoas para trabalhar no Enem 2019.

As pessoas contratadas para trabalhar no Enem podem exercer diversas funções, como coordenadores, certificadores, assistentes, chefes de sala, fiscais de prova etc.

Quem pode trabalhar no Enem 2019?

O número de vagas para ser colaborador no Enem é grande, mas nem todas as funções possuem processo seletivo e, para as que possuem, alguns requisitos precisam ser atendidos pelos candidatos que desejam conseguir o trabalho.

Saiba os requisitos para trabalhar no Enem 2019:

Certificadores

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) lança edital de contratação para o cargo de certificador. Podem se inscrever servidores públicos federais e professores da rede estadual ou municipal de ensino.

No Enem 2019, as inscrições são recebidas até 22 de julho pelo sistema da Rede Nacional de Certificadores (RNC). Veja os requisitos:

  • Ser servidor público, em exercício em 2019, do Poder Executivo Federal regido pela Lei nº 8.112 ou docente da rede estadual ou municipal de ensino efetivo e registrado no Censo Escolar 2018;
  • Ter formação mínima em Ensino Médio;
  • Não estar inscrito como participante do Enem 2019;
  • Não ter cônjuges/companheiros ou parentes – em linha reta, colateral ou por afinidade de até terceiro grau – inscritos no Enem 2019;
  • Não ter vínculo com as atividades do processo logístico de elaboração, impressão, distribuição e aplicação ou de observação da aplicação do Enem e nem com o processo de correção da redação.

Inscreva-se para ser Certificador no Enem 2019!

Os inscritos precisam ter celular ou tablet com acesso à internet para a realização do curso e acompanhamento do processo de participação. Os selecionados devem passar por um treinamento online para entender os procedimentos de segurança as medidas a serem tomadas na aplicação das provas.

Fiscal de Provas

Essa função não recebe inscrições específicas para trabalhar no Enem, já que ela é constituída por colaboradores do consórcio responsável pela aplicação do exame, formado pela Cesgranrio, Vunesp e Fundação Getulio Vargas (FGV).

Na maioria das vezes, as bancas que formam o consórcio convocam os profissionais que fazem parte de suas redes e que possuem experiência na aplicação de provas de concursos e vestibulares. Normalmente, novos colaboradores são contratados por meio de indicações de quem já trabalha na aplicação de provas.

Algumas instituições que são locais de provas, como universidades públicas, selecionam pessoas para trabalhar como fiscal no Enem. Nesses casos, as oportunidades são oferecidas para servidores, professores e alunos.

Quanto ganha para trabalhar no Enem 2019?

O pagamento para os colaboradores selecionados pelo programa de certificadores do Enem 2019 será feito por meio de Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso (GECC), no caso dos servidores do Poder Executivo Federal, e por Auxílio Avaliação Educacional (AAE), no caso dos docentes das redes públicas de ensino.

O valor definido pelo Inep para este ano é de R$ 28,50 por hora de trabalho. Antes do Enem, o colaborador deve indicar para qual carga horária possui disponibilidade: a maior, de 12 horas, ou menor, de 8 horas. Com isso, quem trabalhar em apenas um domingo pode receber até R$ 342, e quem trabalhar nos dois domingos de provas receberá até R$ 684.

O pagamento será condicionado à apresentação do Relatório de Certificação e à finalização da demanda via sistema web ou aplicativo da RNC.

Por Giullya Franco